Livro: A Garota No Trem, Paula Hawkins

Em 26.07.2016   Arquivado em Meta

Pensem em um livro que eu não li, mas devorei. Tive conhecimento de sua existência ao acaso na internet, e como sou apaixonada por livro de suspenses, mistérios e terror, gostei do tema, comprei e li em apenas alguns dias.

Sinopse: Todas as manhãs, Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d’água, pontes e aconchegantes casas. Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Jason –, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade Megan – está desaparecida.
Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos. Uma narrativa extremamente inteligente e repleta de reviravoltas.

Em primeira pessoa, a narrativa do livro se alterna de acordo com o ponto de vista das três principais personagens femininas do enredo: Rachel – sendo essa a protagonista -, Megan e Anna.
Isso foi o que mais gostei nele, a forma como Paula Hawkins demonstrou o ponto de vista de cada uma, vindo a tona a intensidade de suas emoções, capaz de nos tocar profundamente.
A todo momento me senti envolvida na trama. A Garota no Trem é um livro cheio de mistério, segredos, o que te faz querer ler sem parar para saber o que aconteceu e o que mais poderá nos surpreender.

Um fato interessante, e de total opinião minha, é que não teve nenhum personagem em que eu pudesse me identificar: Rachel (essa sim, eu sempre torci para que pudesse ter um final feliz) que está com a sua vida pausada, onde nada de novo acontece e as únicas coisas que ela tem em mente são lembranças de um passado feliz que foi destruído por causa de uma traição pelo seu então, ex-marido. Solitária, depressiva e alcoólatra, que entre uma taça e outra fazia besteiras na qual não se recordava na manhã seguinte. Pude compreender perfeitamente o que a personagem sentia, toda sua angústia, e que ser alcoólatra é assim mesmo, difícil de controlar. Mas tive inúmeras vontades de entrar no livro para dar uns puxões nela, para que tomasse um rumo na vida!

Anna, atual esposa de Tom (a tal amante), ex-marido de Rachel, que vive em seu mundinho perfeitamente egoísta, e Megan, que achei uma pessoa completamente fútil, em busca de casos extra conjugais. A princípio não entendi muito bem o que a autora quis reunindo os olhares de mulheres tão diferentes, mas logo que as peças começam a se encaixar, tudo parece muito bem colocado.

Ele parece um quebra-cabeças cujas peças foram arrastadas pelo vento e que pouco a pouco vão conseguindo se reunir. Um livro instigante que me vi refletindo várias vezes ao dia no que tinha acabado de ler (adoro livros que me dão essa sensação).

Indico totalmente para quem gosta do gênero, com certeza um dos melhores livros que já li.
O filme está previsto para sair em Novembro. Já viram o trailer?

Já estou super ansiosa!! 😀

E vocês, já leram o livro? O que acharam?

Um beijo!